segunda-feira, 31 de julho de 2017

Hoje começa a série dos "Porquês"

Porque é que certos batizados duram quase o mesmo que certos casamentos e o ritmo a que são servidos os diversos pratos é tão, tão desesperantemente moroso que até dá para adormecer à mesa?

terça-feira, 25 de julho de 2017

Das farmácias e de uma farmácia em particular

Não sou cliente assídua de farmácias, felizmente, pois não tenho quaisquer razões de saúde para o ser. Nem os meus. Visito esporadicamente a que estiver mais próxima e que me permita atenuar a maleita temporária que nos tenha atingido. Não tenho qualquer razão para reclamar sobre qualquer farmácia ou profissional que me tenha atendido nas de Braga: normalmente são simpáticos, prestáveis, rápidos e lá fazem o sorrisinho da praxe, uns mais espontâneos do que outros, quando agradeço e nos despedimos.
Mas a verdade é que o atendimento na farmácia da minha aldeia, onde tive que ir há dois dias, supera em qualquer parâmetro de qualidade, o serviço prestado nestas farmácias citadinas.
Quando lá cheguei, as duas profissionais estavam ocupadas cada uma com o seu cliente, ambos já com uma idade bem afastada da minha. "Bolas, azar, isto agora vai demorar e nunca mais saio daqui", pensei eu com os meus botões. É verdade que esperei uns bons 10 minutos. Mas quando chegou a minha vez, percebi porquê e percebi, mais uma vez (já tinha tido a mesma experiência positiva quando decidi renovar o cartão de cidadão na "santa terrinha" em vez de o fazer na Loja de Cidadão de Braga), porque é que certos serviços públicos funcionam muito melhor em locais mais pequenos do que nas cidades: tive direito a um atendimento personalizado, durante o qual me foram mostradas as variadas opções para a resolução do problema (lesão no pulso), tendo a "menina" sido extremamente simpática, calma e esclarecedora, sem nunca ter mostrado qualquer laivo de impaciência por entretanto terem entrado mais dois clientes e que, como eu, estavam à espera há alguns minutos. Fiquei com a sensação de que, da próxima vez que lá voltar, já a "menina" saberá o meu nome. Pois que o do meu pai já sabia e reconheceu-o quando pedi o recibo em nome dele. Assim sim, vale a pena ir à farmácia (da aldeia)!

sexta-feira, 21 de julho de 2017

E hoje espera-me isto

Uma voz bela, a cantar uma música que me acompanhou durante muitos anos em certas andanças:
It brings back memories!

domingo, 16 de julho de 2017

Leituras de praia

Ontem fomos lá, pela primeira vez este ano. E todos levámos livros para ler. Deixo-vos as capas dos três que nos acompanharam, bem como duas adivinhas.

1) Quem levou que livro?
2) Quem não pegou no livro que levou?

Fácil, facílimo...



Rua do Barril

É como os conterrâneos mais antigos, como o meu pai, lhe chamam, pois fica na zona ribeirinha onde há muitos, muitos anos os barcos que navegavam no rio atracavam com a mercadoria: vinho, peixe e o que fosse necessário transportar. 

Contudo, a placa indica Rua de S. Bento, que a determinada altura, sendo pedonal, desemboca em três vias, também pedonais, dando acesso a três zonas diferentes da minha cidade-natal. Está muito bonita, cheia de gente, de fora e de cá.
E uma torra insuportável no momento que vos escrevo. Está-se mesmo bem à beira-rio, debaixo das sombras que as árvores frondosas ajudam a desenhar na relva.


quinta-feira, 13 de julho de 2017

A tia do Homem-Aranha está cada vez mais nova

Entre outras incongruências, a do título é notória. Mas é um bom filme de entretenimento, sim senhora, numa sala toda XPTO, com um som surrounding à maneira e uma tela ginórmica. Ainda mais quando 2 bilhetes nos custaram 5 euros.

Quanto ao filme... bem, é baseado numa personagem Marvel e pouco mais há a dizer: acção inverosímel protagonizada por um puto entediado que só quer ser visto e mais de duas horas que passaram num ápice.

Recomendo que tenham paciência para ver a ficha técnica até ao fim. E dizer mais, seria um spoiler-alert. Vá, ide...

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Pré e pós-treino de Julho

Isto de ter mais 3 jovens, todos rapazes, em casa durante um par ou trio de horas tem a sua piada. Após o treino, parecem leões famintos, um mais do que os outros, por sinal, o que normalmente habita esta casa. E basta olhar para se notar as diferenças físicas neles todos. Será assim até final de Julho. Não está mal, não senhora.